Publicidade

Publicidade
29/11/2008 - 14:17

Bebeto de Freitas conduziu Botafogo no deserto, mas ficou no meio do caminho

Compartilhe: Twitter

Com a eleição de Maurício Assumpção para um mandato de três anos, a começar em 2 de janeiro de 2009, anuncia-se o fim a gestão de Bebeto de Freitas à frente do Botafogo. Trato deste assunto no blog por ter lido muito pouca coisa a respeito nos jornais editados em São Paulo, onde moro, e julgar que é um tema com alguma relevância para quem se interessa por futebol.

Bebeto conquistou a presidência no final de 2002, ano em que o Botafogo foi despachado para a Série B do Brasileiro. Afundado em dívidas e má gestão, a queda do time para a segunda divisão não chegou a surpreender. Ao contrário, o time esteve para cair várias vezes, antes de consumar o ato naquele ano ( a situação, diga-se, lembra a do Vasco em 2008, com Roberto Dinamite recém-eleito presidente).

Bebeto assumiu, portanto, num momento decisivo. Se o Botafogo não retornasse à Série A no seu primeiro ano de mandato, acredito, poderia ser o início do fim. Um time que já vinha ladeira abaixo, e ainda por cima com receitas diminutas, dificilmente agüentaria o tranco de permanecer dois anos na Segundona.

A campanha em 2003 não foi das mais brilhantes (11 vitórias, oito empates e quatro derrotas na primeira fase), mas o suficiente para o Botafogo terminar o campeonato em segundo lugar, atrás do Palmeiras. Eu diria que esta foi a conquista mais importante de Bebeto à frente do Botafogo.

Por sua trajetória e carreira, Bebeto trouxe para o futebol a imagem de um sujeito honrado, limpo, sem relações com a velha guarda da cartolagem. É verdade que, ao longo dos seis anos como presidente do Botafogo, nem sempre agiu como esperavam os que lutam pela modernização da estrutura arcaica do futebol (apoiou a Timemania, por exemplo), mas quase sempre esteve do lado certo.

Não conseguiu, porém, reerguer o Botafogo. Em termos de conquistas, a maior foi o título do Estadual em 2006 – pouco para seis anos como presidente. Do ponto de vista da gestão, ao que parece, não foi capaz de sanear as finanças do clube e deixa um legado pouco promissor para os que o sucedem.

Como quase todos os dirigentes de futebol, Bebeto assumiu muitas vezes posições que um torcedor adotaria (invadiu gramados, xingou juízes, ameaçou tirar o time de competições etc). Por um lado, chega a ser comovente o desespero do presidente do seu clube; por outro, assusta ver que nem ele é capaz de manter a serenidade em momentos decisivos.

Como torcedor, olhando meu time à distância, eu diria que Bebeto ajudou a reerguer a auto-estima de um clube combalido, conseguiu montar alguns times competitivos, que chegaram a dar algumas alegrias à torcida, mas fraquejaram em momentos decisivos. Bebeto comandou o Botafogo numa travessia pelo deserto – mas, infelizmente, não chegou a destino seguro.

Autor: - Categoria(s): Esporte Tags: , ,

Ver todas as notas

9 comentários para “Bebeto de Freitas conduziu Botafogo no deserto, mas ficou no meio do caminho”

  1. Nivardo Gallo disse:

    Parabéns pela qualidade do comentário. Como botafoguense desde criança (1957) sou solidário à sua opinião e desejo que Bebeto continue a apoiar nosso time em todos os momentos e espero que o novo presidente continue seu trabalho de conduzir o Glorios ao destacado lugar que merece.

  2. Sylvio Mineiro disse:

    É o relato mais sincero e corretor que um botafoguense pode ler, são palavras de pura realidade, sem ofensas e tão pouco maliciosas.
    Ser botafoguense é acustumar com o “quase”, por isto este texto dever ser lido com a cabeça não com o coração.

  3. Julio Cesar Conde disse:

    Apesar de só ter ganho o Campeonato Carioca de 2006, não podemos esquecer que em 2007 e 2008, foi vice-campeão, isto é foi prá final dos 3 últimos Campeonatos Cariocas e só perdeu devido a atitudes explícitamente estranhas por parte das arbitragem (2007-Beltrame e 2008-Marcelo de Lima), no Brasileiro conquistando vagas para Sul-Americana e o mais importante ter ganho a licitação do Engenhão (Estádio Olímpico mais moderno da América Latina).
    Em resumo o Bebeto fez o possível para coquistar a dignidade do clube e dos torcedores, pois quando o mesmo assumiu, o clude estava em péssima situação moral e financeira.
    Prá mim o Bebeto fez o que poderia ser feito e aprovo a sua administração.

  4. anderson lima disse:

    mto coerente e verdadeiro seu comentário !

    infelizmente…

    e agora essa negociação do Túlio !
    uma pena q todo jogador do Botafogo sái sem ao menos servir de CAIXA para o Botafogo !

    sabemos q ele negociou a rescisão do contrato em troca de exigir seus direitos, pelo menos é o q sái na imprensa…

    mas será q se fosse colocar na balança, não haveria nenhum pingo de LUCRO tendo em vista q se trata de um jogador desejado por alguns clubes por aí afora ??????

    será q se colocasse na balança não teríamos um saldinho a favor do BFR ?

    chega dá raiva como se negocia mal no Botafogo …

  5. adilio dos santos da silva disse:

    vlw bebeto e monte negro; ano quem vem espero poder ganhar tudo que deixamos de ganhar nesses ultimos anos!

  6. […] visitando o blog pela primeira vez, convido-os a ler dois outros textos que escrevi sobre o clube, aqui e aqui. Enviado por: Mauricio Stycer – Categoria(s): Cultura, Esporte Tags relacionadas: […]

  7. Christian Lindberg disse:

    bom comentário…sou daqueles que julgo como positivo o trabalho do Bebeto no Botafogo e espero que a diretoria eleita aperfeiçoei as ações realizadas pelo Bebeto.

    a única coisa que discordo do seu comentário é o apoio do dirigente alvinegro a Timemania, que considero uma ação positiva para o futebol brasileiro.

    mas é isso, presidente sai, presidente entra e o meu amor pelo Botafogo só aumenta…..

  8. Jorge Andrade disse:

    Bebeto foi muito importante para o Botafogo, pois foi o responsável, ao lado de Cuca, pela recuperação da autoestima dos seus torcedores.Mas ele não é milagreiro nem irresponsável.´Foi roubado em algumas finais e semi-final e teve um time de jogadores sem expressão, a não ser o bom Lúcio Flávio,como o time que apresentou o futebol mais bonito e alegre dos últimos anos no Brasil.

  9. MANOEL disse:

    SEMPRE TORCI PELO BEBETO E DEU CERTO , NÃO FOSSE BEBETO O BOTAFOGO NÃOEXISTIA MAIS DIGO A MÁRCIO GUEDES QUE O BEBETO NÃO FUNDOU O BOTAFOGO MAS REFUNDOU.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo