Publicidade

Publicidade
15/12/2008 - 15:13

A queda de Madonna e um tombo no interior de SP

Compartilhe: Twitter

Ver Madonna escorregar, levar um tombo, levantar-se numa boa e prosseguir o show, como se nada tivesse ocorrido, me lembra uma história deliciosa, contada nos meus tempos de “Folha” pela Renata Rangel, jornalista querida que não vejo há muito tempo.

A história se passa no interior de São Paulo, num tempo em que a elite local curtia longas temporadas na Europa e, na volta, promovia uma festa para contar as novidades e exibir as peças adquiridas na viagem.

Sala lotada, todos aguardam a presença da anfitriã, que está dando os últimos retoques, no quarto, no segundo andar da mansão. Eis que, vestindo o mais caro modelo comprado em Paris, a dona da casa começa a descer as escadas, causando suspiros de admiração nos convidados, que se viram para vê-la. Num dos últimos degraus, porém, ela escorrega e vai ao chão, numa queda espetacular. Ouve-se um “ah” coletivo, mas a madame não perde a pose. Levanta-se como se nada tivesse acontecido, ajeita o vestido e exclama:

– Cai-se tanto em Paris!

Autor: - Categoria(s): Cultura Tags: , ,

Ver todas as notas

4 comentários para “A queda de Madonna e um tombo no interior de SP”

  1. Djones disse:

    Estava vendo o video do tombo no you tube
    um cara entrou e fez um comentário engraçado:
    “Ninguém repara que ela cai e a voz dela não dá nem uma tremidinha?” É tão óbvio”
    RS
    vantagens e perigos do playback: se ela leva um tiro… o show tem e pode continuar….

  2. […] jornalista Claudio Henrique, músico talentoso e de ouvido apurado, me alertou para uma discussão que começa a ganhar corpo no You Tube. Várias pessoas que viram o vídeo com […]

  3. Ric de Santo André disse:

    Pra mim eu acho que maioria dos artistas que se apresentam várias vezes utilizam este recurso, pois haja vóz.
    Só que é um insulto para aqueles que pagam uma fortuna por um ingresso para ouvir “CD”.
    Quanto ao tombo de madona, ou ela é uma excelente cantora daquelas de tirar o chapéu, ou é uma trapaceira de marca maior.
    Eu ví o tombo más não me ative ao detalhe, más agora sendo alertado, realmente não mudou em nada a toada da música.
    Bom pra mim sendo Playback ou ao vivo, não perderia meu tempo nem meu dinheiro pra assistir Madona, crédo em cruz, sai de mim satanaz.

  4. OSWALDO JR disse:

    Eric, esses artistas que usam o playback para cantar são os mesmos que reclamam da concorrência do CD pirata. Se quem compra CD pirata está comentendo crime, o artista que usa playback para cantar também está cometendo crime, pois o público pagou um ingresso caro para ver o artista cantar ao vivo, e não cantando em playback.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo