Publicidade

Publicidade
23/11/2009 - 02:21

Luciano Huck acusa programa do Gugu de plágio e é chamado de “babaca” e “covarde” pelo diretor do rival

Compartilhe: Twitter

O Twitter foi palco neste domingo de uma discussão acalorada entre Luciano Huck, apresentador da Globo, e Homero Salles, diretor do programa de Gugu Liberato na Record. A briga terminou por chamar a atenção para um problema crônico da televisão brasileira: o mau hábito de copiar programas alheios ou repetir fórmulas prontas.

Huck indignou-se ao ver o apresentador da Record exibir na noite deste domingo um quadro semelhante ao “Lata Velha”, que ajuda donos de carros velhos a reformarem seus veículos, apresentado no programa da Globo desde 2006.

“Agora o Gugu quer ‘se inspirar’ também no Lata Velha!!! Hahahaha…ô falta de imaginação!!!! Tem gente que acha que povo é burro, né não?”, escreveu Huck, por volta das 21h15, aos seus 1,4 milhão de seguidores – o maior número no Twitter brasileiro. E logo acrescentou, com ironia: “Faça o bem, para receber o bem. Vou acreditar que 80% do Programa do Gugu é uma ‘homenagem’ ao Caldeirão. Obrigado, nobre colega.”

Com apenas 1,5 mil seguidores no Twitter quando começou a discussão, Homero Salles aproveitou a deixa para desferir uma série de ataques a Huck. Por uma hora e meia, ao longo de mais de 20 mensagens sobre o assunto, o diretor da Record não negou ter copiado o programa do rival, apenas argumentou que o apresentador da Globo não tinha autoridade para falar de cópias.

“@huckluciano , deixa de ser babaca…você dirige um TAXI que o Gugu dirigia e pensa que pode falar dos outros?”, começou Salles, lembrando que Huck apresentou um quadro na Globo muito semelhante a um que Gugu mantinha no SBT.

Irônico, Salles lembrou que o quadro “Lata Velha” é baseado num formato estrangeiro, sugerindo que não está copiando a atração do “Caldeirão do Huck”, mas de programas da tevê americana: “amiguinho…TODOS nós assistimos os programas de reforma de carros americanos…nem vc nem nós inventamos isso”

Ainda com sarcasmo, Salles afirmou que Huck utiliza em seu programa vários quadros “importados” de produtores estrangeiros. “ô nobre colega…até três anos atrás vc perdia pro Raul Gil, a Globo teve de gastar uma nota preta comprando formatos…”, escreveu Salles. O diretor da Record citou os quadros “Barco do Amor” e “Acorrentados” como exemplos de atrações “importadas”. E, logo, no Twitter, vários leitores que assistiam a discussão lembraram de outros quadros exibidos no programa de Huck que seriam “inspirados” em atrações estrangeiras, como “Soletrando” e “Lar Doce Lar”.

“Nunca tive vergonha de adaptar bons quadros …mas tem de ser homem e assumir”, escreveu o diretor do programa do Gugu. Chamado de “covarde” por fazer suas críticas quando o programa do concorrente ainda estava no ar, Huck apagou do Twiiter, ainda na noite de domingo, os dois comentários que publicou. Um pouco antes de eliminá-los, dirigindo-se a colegas que se impressionaram com o tom da discussão, Huck escreveu que suas críticas foram apenas “um dasabafinho”, mas que não tinha a intenção de polemizar com Salles.

Atribui-se a Abelardo Barbosa (1917-1988) a célebre frase: “Em televisão, nada se cria, tudo se copia”. É um exagero, evidentemente – e o próprio Chacrinha, original em vários aspectos, está aí para desmentir a si próprio. Mas a briga feia entre Luciano Huck e Homero Salles diz muito do nível da televisão brasileira atual.

Autor: - Categoria(s): Blog, televisão Tags: , , , , , , , ,

Ver todas as notas

86 comentários para “Luciano Huck acusa programa do Gugu de plágio e é chamado de “babaca” e “covarde” pelo diretor do rival”

  1. Dina disse:

    Ñ tenho paciência nem tempo para ver novelinhas e outros “produtos” da Globo(nem de outra emissora), mas curiosamente, o Huck conseguiu que eu o admire. Ele tem um jeito natural, uma entonação de voz massa como dizemos aqui na Bahia.
    Acho que não precisa mesmo se preocupar com a concorrência. É só continuar sendo ele mesmo: muuuito carismático; e por favor, ñ baixa o nível!!!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo