Publicidade

Publicidade
24/11/2009 - 11:45

Tentando entender “Lua Nova” e “Crepúsculo”

Compartilhe: Twitter

Lua Nova 2Adolescentes, não leiam este texto. Tenho certeza que vocês vão se irritar. O que se segue é o esforço, possivelmente fracassado, de um “tiozinho” no sentido de entender este novo fenômeno da indústria do entretenimento.

No intervalo de quatro dias, assisti aos filmes “Crepúsculo” e “Lua Nova”, ambos recordistas de bilheteria, baseados na série de Stephenie Meyer, de quem nunca li, até hoje, uma única linha. Com muito atraso, reconheço, escolhi tentar recuperar o tempo perdido, mesmo que de forma superficial, por meio dos filmes.

Vi “Crepúsculo” na televisão, no Telecine, o que diminui muito do seu impacto, imagino. Mas me chamou a atenção o make-up exagerado de todos os vampiros da família Cullen, o jeito afetado e lento de falar e o fato de serem todos bonitos – homens e mulheres.

Registrei uma única piada ao longo de 122 minutos de filme – na cena em que Edward Cullen (Robert Pattinson) explica para Bella Swan (Kristen Stewart) que os vampiros de sua família não bebem sangue humano. “Nós nos vimos como vegetarianos. Seria como um ser humano que só comesse tofu: você nunca fica totalmente satisfeito”.

Também chama a atenção de cara que, com seus vampiros bonitinhos e modernos, “Crepúsculo” acaba com qualquer sutileza e sugestão que normalmente existe em filmes do gênero.

Assisti “Lua Nova” numa pré-estreia, à meia-noite, véspera do feriado, no Kinoplex Itaim. O cinema exibiu o filme em duas salas lotadas – uma terceira teve que cancelar a sessão porque a cópia não chegou.

Pattinson é o novo Leonardo di Caprio no imaginário das adolescentes. Provoca gritos histéricos por onde passa. Como escrevi no Último Segundo, nas telas, quando aparece, causa reações incomuns em cenas de cinema: barulho, murmúrios, suspiros e gritos se espalham pela sala.

O estranho visual – purpurina no rosto e lábios muito vermelhos – não atrapalha em nada. Ao contrário, parece torná-lo ainda mais atraente, talvez porque inofensivo, às meninas na platéia.

Lutando contra os seus instintos, no primeiro filme, Edward Cullen resiste a dar a mordida fatal em Bella e, ainda por cima, se apaixona pela jovem. Mas percebe, logo no início de “Lua Nova”, ao ver sangue nas mãos da menina, que sua índole (e a de seus familiares) é mais forte, o que coloca a vida da amada em risco.

Com um pé em “Romeu e Julieta” e outro em “Harry Potter”, Stephenie Meyer construiu sua saga em torno da mais essencial das questões para uma adolescente: a perda da virgindade. O tema é ótimo, de fato, e o seu potencial para arrebatar platéias femininas está mais do que comprovado pelos espetaculares resultados nas bilheterias.

LUa NovaAbandonada pelo vampiro Edward, Bella sofre horrores durante meses, até que se reaproxima de um amiguinho do primeiro capítulo, o índio Jacob Black (Taylor Lautner), agora sem camisa, encorpado e com segundas intenções.

Bella acaba sentindo uma certa queda por Jacob, mas vai sofrer outra decepção ao descobrir que o menino é, na verdade, um lobisomem! E lobisomens, como todo mundo sabe, não se dão com vampiros. É assim, literalmente, entre a cruz e a caldeirinha, mendigando um beijo aqui e outro ali, que Bella vai passar os intermináveis 130 minutos de “Lua Nova”.

Não acontece absolutamente nada no filme, o que pode explicar a implicância e resistência do público masculino, que transparece em comentários em blogs e fóruns sobre a saga. Bella também é cortejada nos filmes por um menino “normal”, nem vampiro nem lobisomem, mas não vê a menor graça nele. Seu sonho é ser mordida pelo vampiro galã. Para os meninos, trata-se de concorrência desleal.

Para piorar, a paciência e o recato do vampiro são realmente de outro mundo. O que pode ser tedioso para parte da plateia, parece encantador para a outra parte. À saída da sessão que assisti, às 2h20 da manhã, enquanto dezenas de adolescentes procuravam seus pais à saída do Kinoplex Itaim, muitas trocavam impressões sobre o filme. “Chorei muito na hora em que ele (Edward) falou que ia embora”, dizia uma. “Também chorei muito”, dizia a amiga. “Eu só lacrimejei”, respondeu a terceira.

Em tempo: sem nenhuma sutileza, num expediente que lembra as novelas da televisão, “Lua Nova” termina deixando pela metade uma conversa importante dos dois protagonistas. Só faltou exibir em seguida “cenas do próximo filme”. Que, a propósito, chama-se “Eclipse”, e tem estreia programada para 30 de junho de 2010.

Autor: - Categoria(s): Cultura Tags: , , , , , , , ,

Ver todas as notas

208 comentários para “Tentando entender “Lua Nova” e “Crepúsculo””

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Mauricio Stycer, Silvia Masc. Silvia Masc said: RT @mauriciostycer: Um "tiozinho" (eu) tentando entender "Lua Nova" e "Crepúsculo". http://migre.me/cnng […]

  2. Diego disse:

    Uma história de vampiro voltada pra garotas adolescentes. Essa frase resume os filmes e indica que são ruins.
    Qualquer adaptação de qualquer história feita pro público “teen” se torna um romance melado com características de novelinha. Um bom exemplo disso é Small Ville.

  3. Amanda disse:

    Obrigada pelo conselho dado a cima. Não li o texto. =DD

  4. Ed disse:

    Mauricio… voce tem problemas ! Tente fazer análise em grupo ! Qualquer coisa que voce vê, pende sempre para o lado ruim. A única piada que voce conseguiu ver (e acredite, há outras) em Crepúsculo, não era piada, era uma comparação. Acho que voce gosta mesmo de é de Big Brother… mesmo apos cerca de 10 edições, consegue achar entreterimento naquilo. Acho que voce é pau mandado da Globo, ou tá apaixonado pelo Bial. Cara… tente sorrir mais ! Sei que a crítica não é para ser unanimidade, é para fazer pensar, mas voce precisa rever seus conceitos.

  5. Netto Gonçalves disse:

    Meu caro, você deveria coletar muitas informações antes de divulgar um artigo como esse. Muitas das coisas que você publicou estão totalmente equivocadas. Leia a saga para depois tirar suas próprias conclusões. Não se prenda a dois filmes, e sim a própria fonte do filme: o livro.

  6. soso disse:

    e agora, to com os ingressos comprados pra amanhã… devolvo, rasgo, doou pra alguém ou pego o dinheiro de volta? kkkkkkk

    • Ana_Patt disse:

      Assista e tire as próprias conclusões. Nunca se baseie pela opinião alheia!

  7. ÉRIKA disse:

    até concordo, mas, acontece que na sala que eu assisti o filme havia adolescentes colocando os hormônios pra funcionar, mas tinha muito adulto também impressionado com o filme. O que me incomoda é só ter que esperar Eclipse pra ver que também não assistirei o final dessa história, mas o restante me fez apaixonar pela história mesmo sabendo que é fora do normal. E a essência é essa, o autor talves não tenha sido criativo mas tá lucrando viu, pq só o que eu ouvi de propaganda de boca-a-boca….

    • Josiane disse:

      Bom, é uma saga. Todo mundo sabe que são 4 livros, então não há muito o que fazer.
      Mas é tipo Senhor dos Anéis, então o povo já viu isso antes….

  8. Debora disse:

    Cara Chato vc hein…Vc já leu os livros não neh…então por favor antes de tirar suas proprias conclusões leia,vc é um critico sem noção.!!!eu Amo essa saga. e daorei os dois filmes os livros então nem se fala…é muito bommm!!!!

    Vc não está com nada e concordo com o Ed,vc deve ser pau manadado da globo!!!

  9. Diego disse:

    Os “aborrescentes” começaram a se manifestar!

  10. Debora disse:

    Cara Chato vc hein…Vc já leu os livros não neh…então por favor antes de tirar suas proprias conclusões leia,vc é um critico sem noção.!!!eu Amo essa saga. e adorei os dois filmes os livros então nem se fala…é muito bommm!!!!

    Vc não está com nada e concordo com o Ed,vc deve ser pau manadado da globo!!!

  11. Samuel disse:

    Hahahahhaa, adoro ler essas criticas e depois ler os comentários com o povo metendo o pau…
    Aliás assisti Lua Nova e ja li os 4 livros, pode não ser interessante pra alguns mas eu gostei muito….

  12. Letiícia Pelizari disse:

    Na verdade, como o filme foi “baseado” no livro, ele retrata resumidamente o quê você veria em, o que? umas 400 páginas? Acredite, se o filme tem seus intermináveis 130 minutos de fossa adolescente, não quero nem imaginar o livro. Eu li o primeiro livro e achei legal, mas o filme foi extremamente decepcionante. Depois passei a me interessar mais por romances de vampiros mas nada de “Vampire Diaries” e sim “Conde Drácula”. A midia e a autora conseguiram praticamente acabar com a lenda vampiresca clássica. Desde quando um vampiro brilha no sol igual uma fada?! Mauricio, eu adorei a matéria, meus parabéns e meus pêsames. Juro que se fosse eu em uma sala de cinema lotada de fans posers de Crepusculo, daria um tiro na cabeça.

    • Grazi disse:

      Demorou vc se matar!!!
      Vc sabe de onde vem realmente a “lenda vampiresca classica”?. Vc sabe me responder o que pe uma Epopéia ou um romance? Estude querida, depois conversamos mais. Quem sabe assim vc terá capacidade de analisar profundamente o conteudo do livro, e não ficar só no superficial.

    • Lorraine disse:

      A “lenda vampiresca clássica” a qual você se refere não passa de algo que outros autores imaginaram; mas isso não quer dizer que TEM que ser sempre assim. Vampiros são criaturas fictícias e na ficção, eles podem ser como quisermos que eles sejam. Aliás, deixe-me perguntar uma coisa: você sabe quem escreveu Conde Drácula?
      E, a autora não acabou com lenda alguma, só criou a sua própria. Não quer dizer que você precisa aceitar a opinião dela, porém, precisa respeitá-la.
      E o comentário sobre “FÃS posers de Crepúsculo” parece algo vindo de uma Crepusculomaníaca, reflita.

  13. Allécto . . disse:

    É engraçado ver esse público adolescente com suas fixações, e lembrar-me que já passei pela mesma coisa, achando que o mundo não me entendia.

    E acho que não entendia mesmo, e que a gente esquece boa parte do que sentia quando era adolescente.

    Agora eu me senti uma tiazinha também, rs.

    • Ana_Patt disse:

      é… vc deve ser uma velha (e não na questão da idade, mas de alma), pq amor, fixação é realmente coisa de almas jovens!

    • Lorraine disse:

      A minha mãe com certeza nao é mais nenhuma adolescente, mas se apaixonou pelos livros. Acho que isso depende da personalidade da pessoa e de suas convicções. Se você não acha que é velha demais para a história, então você não é. Se pensar que é, você está certa.

  14. Grazi disse:

    Eu fico pensando em, como um jornalista escreve uma critica sem conhecer o que está sendo criticado?
    Nunca vi isso. Tinha que ser global mesmo, e ainda por cima faz comercial do Telecine, que caiu como uma luva…
    Leia o livro, entenda o enredo, busque informações em fontes seguras. Depois reescreva sua critica.

  15. Moniza disse:

    “Meu caro, você deveria coletar muitas informações antes de divulgar um artigo como esse. Muitas das coisas que você publicou estão totalmente equivocadas. Leia a saga para depois tirar suas próprias conclusões. Não se prenda a dois filmes, e sim a própria fonte do filme: o livro.” [+2]

    Outra coisa… eu gosto da saga, nunk me interessei por romeu e julieta muito menos harry potter! XD

    e pra mim.. sao historias diferentes, que no desenvolver da( saga) possa ser apresentados textos como o de romeu e julieta!

  16. SONIA disse:

    Mauricio, respeito seu ponto de vista a respeito da saga porém devo admitir que li os 4 livros e que assisti Crepusculo e amei.

    Deixe a preguiça de lado e leia os livros.

  17. Diego disse:

    Se a crítica é ao filme, por que ele teria que ler o livro antes de fazê-la?

    • Grazi disse:

      Simplesmente porque o livro é baseado no livro. E sempre que um filme é adaptado, muitas vezes perde-se informações que você encontrará somente no livro. Vc já leu os Livros do Filme Sr. dos Anéis? tente e depois me conte como foi sua esperiencia. Ou para ficar mais facil Vc leu Código da Vinci de Dawn Brown? Leia o livro e depois assista o filme e tire suas própias conclusões. Filme tem que ser comercial, o livro é a essencia. O que adianta saber escrever se vc não sabe o que significa… dicionário.

    • Grazi disse:

      Desculpe Filme baseado no livro

    • Eduardo disse:

      Concordo com o post do Diego (acima).

      Olha, acho que temos que ser sensatos. A fórmula “HArry Potter” e “Romeu e Julieta” dá certo, atrai o público e é pop. De fácil digestão (ou não). E, ao que parece, consegue se manter durante muito tempo atraindo público e leitores.

      Eu vejo da seguinte maneira: No livro, temos contato com o texto da autora. Ela dá sensações e sentidos aos personagens, cenário e clima. Vc se identifica com esse ritmo pessoal que o autor(ora) constrói.

      Já no filme é outra história. A base é o livro, mas a mídia é outra. Estamos falando de filmes!! Isso envolve muita grana e publicidade, logo, TEM QUE VENDER…. (espero que isso não irrite mais a galera com sangue no olho)

      Agora, me recordo que o Stycer colocou logo no começo da crítica algumas considerações. A primeira era um aviso para as adolescentes-torcedoras-xiitas-partidárias da banca “Crepúsculo” que tal crítica certamente as deixaria irritada. E num é que estava certo!!!

    • Lorraine disse:

      Desculpe, mas a crítica não foi ao filme, mas sim a HISTÓRIA do filme. E a história do filme veio do livro. É difícil compreender isso?

    • ocult person disse:

      boiaaa !! essa fo9i boiaa!!

  18. Tamires disse:

    Bom eu acho que todo mundo tem o direito de gostar do que quizer, inclusive vc, que só soube criticar o filme a autora e os livros da saga, espero que vc nunca precise de nada e de ninguem, pois o mundo gira, e não se esqueça que vc já foi adolescente, que teve sonhos, vontades… Não fale coisas que vc não sabe sobre o filme, pois como mesmo disse, não leu ainda nenhum livro da autora. E outra coisa, a opinião que vc maldosa sobre os adolescentes que estavam na pré – estreia do filme, um dia alguem já teve por vc, e um dia alguem tera do seu filho ou sobrinho, ou uma pessoas que vc goste muito.

  19. Morganalu disse:

    Vixiiii, eu não ´sou adolescente e adorei o filme….e olha que conheço vampiros, pois desde criança cou fascinada pela saga deles,,,,,Qual o problema do filme? Porque não se trata de um vampiro de meia idade, sem pidade de ninguém?…Acho lindo esta coisa de paixão juvenil, esta vitalidade que eles tem…e digo mais, o pai do Edward no filme, é lindo de morrer..rsssssssss……Tiazinha os cambau, sou uma mulher e pronto!!!!!!

  20. Moniza disse:

    diego – pra naum falar besteira! o filme tem varias diferenças com o livro?! tem! mais ele naum pode soh se basear no filme! para criticar precisa saber pelo menos do que se trata! com todo o respeito! e em falr em adolescentes, concordo que o publico por maioria são adolescentes, mais conheço muitas pessoas mais velhas que adoraram a saga, tanto o livro como o filme. E eu sou um exemplo disso! XD

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo