Publicidade

Publicidade

20/11/2009 - 13:10

Especial sobre Cazuza “reabilita” Ney Matogrosso

Compartilhe: Twitter

O programa sobre Cazuza (1959-1990) exibido pela Globo nesta quinta-feira, dentro da série “Por Toda a Minha Vida”, fez justiça, finalmente, ao cantor Ney Matogrosso, vetado e suprimido do filme “Cazuza, O Tempo Não Para” (2004), uma produção da Globo Filmes, dirigida por Sandra Werneck e Walter Carvalho.

Ney aparece de várias formas no especial. Ele fala sobre o relacionamento amoroso de três meses que teve com Cazuza, dá um depoimento sobre a obra do músico (elege “O Tempo Não Para”, “Blues da Piedade” e “Brasil” como suas obras-primas) e faz parte da encenação de um episódio fundamental na trajetória do Barão Vermelho: a sua decisão de gravar a canção “Pro Dia Nascer Feliz”, que deu visibilidade, no início dos anos 80, à jovem banda de rock.

Apenas por isso, o especial sobre Cazuza já mereceria todos os elogios. Mas o programa, com direção de Gustavo Fernandez, roteiro de George Moura e Teresa Frota e colaboração de Fernanda Scalzo, vai além.

Com ótimos depoimentos, inclusive do colega de escola Pedro Bial, do parceiro Roberto Frejat e do pai João Araujo, que raramente fala sobre Cazuza, o programa apresenta histórias pouco conhecidas ou inéditas sobre a breve vida do músico.

Bial descreve o dia em que os dois, crianças, foram recebidos por Vinicius de Moraes na banheira de sua casa e convidados a beber um uísque. Com muita sinceridade, Frejat relata a briga que teve com Cazuza e como reagiu à decisão do cantor de deixar o Barão Vermelho: “Fiquei puto”, diz. João Araujo aparece numa encenação aos tapas com o filho adolescente e, em outro trecho, emociona-se ao falar do legado de Cazuza.

Lucinha Araujo, mãe de Cazuza e co-autora do livro “Só as Mães São Felizes”, que serviu de fonte para o filme “O Tempo Não Para”, também é ouvida no especial, mas seu papel na história parece ter sido redimensionado.

O especial apresenta os vários Cazuzas que a sua geração conheceu: o compositor genial, o boêmio inconveniente, o hedonista irresponsável, o rebelde indomável, o artista corajoso, o exagerado em tudo. Entende-se claramente, ao final do programa, porque ele faz tanta falta.

Autor: - Categoria(s): Cultura, televisão Tags: , , , , , , , ,
26/02/2009 - 11:19

Stallone e Schwarzenegger no mesmo filme

Compartilhe: Twitter

Sylvester Stallone, cuja carreira não está, digamos assim, no seu momento de pico, prepara um novo filme repleto de atrações. Além de filmar boa parte da ação no Brasil, como já se sabia, o astro confirmou nesta quarta-feira que Arnold Schwarzenegger fará uma participação especial – no papel de governador da Califórnia – na produção.

O histórico encontro está longe de ser a, um dia sonhada pelos fãs, ação em conjunto entre Rambo e Exterminador do Futuro – mas já é alguma coisa. As filmagens de “Os Mercenários” começam no próximo dia 28 de março, no Brasil, prosseguem em Nova Orleans e passam pela Califórnia. O filme conta a história de um grupo de mercenários dedicado a derrubar do poder um ditador latino-americano (quem será o inspirador?) e conta no elenco, ainda, com Mickey Rourke e Forest Whitaker.

A produção do filme no Brasil será da O2, de Fernando Meirelles. Stallone visitou locações no Rio de Janeiro, em São Paulo e no litoral paulista. Atores brasileiros devem participar da produção, mas nenhum nome foi confirmado, até agora.

Autor: - Categoria(s): Cultura Tags: , , ,
Voltar ao topo