Publicidade

Publicidade

28/02/2009 - 19:21

Mulheres de Chico prolongam o Carnaval de rua

Compartilhe: Twitter

A revolução ocorrida no carnaval carioca, com a proliferação de blocos de ruas, não se encerra na Quarta-Feira de Cinzas. Neste fim de semana em que ocorre o desfile das campeãs, no Sambódromo, outros 16 blocos animam diferentes bairros da cidade.

O Monobloco, um dos responsáveis pela revitalização do carnaval de rua, nasceu no Jardim Botânico, em 2000, mas cresceu tanto que no ano passado desfilou na orla de Copacabana, seguido por cerca de 100 mil pessoas, e este ano, a partir das 9h da manhã de domingo, vai cruzar o centro da cidade.

Um bloco simpático, mas de dimensões ainda modestas, mobilizou o Leblon neste sábado. Criado no final de 2006, pelas cuiqueiras Gláucia e Vivian, o Mulheres de Chico apresenta-se no primeiro sábado depois do Carnaval – com repertório dedicado exclusivamente à obra de Chico Buarque. Como outros blocos cariocas, atrai público de idades bem diferentes – crianças, velhos, moçada – num clima bem democrático.

É um “bloco parado”, para usar a terminologia de Carlinhos Brown. Suas 30 ritmistas apresentam-se num palco, no centro da praça Antero de Quental, no coração do Leblon. “Será que ele vem hoje”, diz uma das três cantoras, ao iniciar a cantoria. Diante da praça lotada, cantam desde “A Banda” até “Apesar de Você”, passando por “O Malandro”, “Geni”, “Cotidiano”, “Quem Te Viu, Quem Te Vê”, “Samba de Orly”, “Jorge Maravilha” (assinada por Julinho da Adelaide) etc tal. Apenas uma música não é de autoria do compositor. Trata-se de uma marchinha simples, cujo verso principal é “Será que o Chico vem”… Até as 19h15, ele ainda não tinha aparecido…

Autor: - Categoria(s): Cultura Tags: , , ,
Voltar ao topo