Publicidade

Publicidade

02/04/2009 - 11:53

BBB9 – Duas dúvidas: Boninho acredita em enquetes? Por que a aula de sexo anal sumiu?

Compartilhe: Twitter

Uma dúvida sobre o BBB me ocorreu na manhã desta quinta-feira, depois de ler na “Folha” que o diretor do programa, Boninho, disse acreditar num paredão final entre as três mulheres que restam na casa. Segundo ele, caso Max não vença a prova do líder, será indicado ao paredão de domingo e, contra quem quer que dispute, deverá ser eliminado.

Minha dúvida: com base em que Boninho pode fazer essa afirmação? Depois de alguma reflexão, levantei duas hipóteses: 1. cabe a ele decidir quem vai ganhar e quem vai perder; 2. as enquetes têm mostrado a queda da popularidade de Max. Como eu tenho certeza que a primeira hipótese é falsa, só me resta a segunda. Ou seja, Boninho fez esse prognóstico com base em enquetes.

Bom, se Boninho acredita em enquetes, a ponto de prever para a “Folha” quem irá para a final do programa, só nos resta acreditar também. Isso me tranqüiliza, muito, já que escrevi aqui sobre a dúvida que causou, em duas ocasiões, o resultado final de um paredão (Ana x Ralf e Ana x Josi) ser tão diferente do prognóstico das enquetes.

A Globo respondeu que o voto na internet (o mesmo voto das enquetes) não é o único que decide quem fica e quem sai do BBB. É preciso também levar em consideração os votos dados por telefone e por SMS (torpedo) – e  cada voto tem um peso diferente, explicou a emissora.

Retomo, então, à minha dúvida: como Boninho pode afirmar que Max deve ser eliminado, caso não seja o líder, apenas com base no que dizem as enquetes? E os votos por telefone e SMS?

O que aconteceu com a aula de sexo anal?

Como já escrevi antes, esta é a primeira vez que assisto o BBB regularmente. Devo também confessar que não sou um viciado em televisão – assisto alguns programas e às vezes, para me distrair, como todo mundo, fico zapeando de um canal para o outro, até cansar.

Faço essa introdução para repartir com os leitores uma dúvida: é comum aula de sexo anal na televisão? Eu nunca assisti, mas pode ser que seja algo muito corriqueiro na tevê brasileira, e eu esteja totalmente por fora. Só isso – o fato de ser muito batido – pode explicar a decisão de não mostrar, na edição de quarta-feira do BBB9, a aula de sexo anal que Francine deu para Ana, Priscila e Max na madrugada do mesmo dia.

Alertado por diversos leitores, assisti no You Tube a cena, de 10 minutos, em que uma debochada Francine explica, para diversão e constrangimento dos outros três, como praticar sexo anal. Jornalistas gostam de dizer, brincando, que se um cachorro morde o homem não é notícia, mas se um homem morde o cachorro, aí sim, temos uma novidade. A aula de Francine no BBB não foi uma novidade? Não mostrou algo diferente sobre a personagem e sobre os demais candidatos? 

Observação: Desnecessário dizer que não serão publicados comentários com ofensas, palavrões, grosserias etc. Quem quiser discutir os assuntos propostos aqui, seja muito bem-vindo.

Autor: - Categoria(s): televisão Tags: , , , , , , , , ,
31/03/2009 - 12:56

BBB9 – Globo se recusa a esclarecer dúvida sobre votação

Compartilhe: Twitter

Pela segunda vez neste BBB, os resultados das enquetes realizadas por diferentes sites, inclusive o iG, foram muito diferentes do placar final de um paredão. A primeira vez que isso ocorreu, na disputa entre Ana e Ralf, as enquetes apontavam uma disputa apertadíssima (com vitória de um ou de outro, dependendo do site), mas o placar oficial, anunciado pela Globo, mostrou uma vitória tranqüila de Ana.

O mesmo fenômeno repetiu-se neste domingo. Enquanto as enquetes sugeriam que a disputa estava acirrada entre Ana e Josy, o resultado final indicou novamente uma vitória folgada de Ana.

Embora as enquetes de Internet não tenham valor científico, porque indicam a preferência apenas daqueles que querem votar, e não do conjunto da população, elas têm sido um indicador confiável dos humores do público que assiste o BBB.

Por esse motivo, os dois paredões vencidos por Ana provocaram tantas reclamações, tanto nos comentários dos leitores aqui no iG e em outros sites, quanto diretamente junto à Rede Globo. A emissora, em notícia publicada nesta terça-feira pela Agência JB, não comenta os resultados das enquetes. Apenas esclarece que os votos são recebidos por três plataformas diferentes: telefone, SMS (o popular torpedo) e Internet.

Segundo a Globo, cada plataforma tem um peso diferente na contabilização dos votos, mas não revela qual é o peso de cada uma. “A ponderação dos votos é usada para garantir a representatividade estatística das três diferentes plataformas de votação”, disse a assessoria de comunicação da emissora à Agência JB. É exatamente, sem tirar nem por, a mesma resposta que a Globo deu ao site especial do iG em 17 de fevereiro.

Repito a minha opinião, que expressei na ocasião da polêmica sobre a eliminação de Ralf: “Em nome da transparência e da credibilidade do programa, seria interessante o público ser informado. Do contrário, restará a suspeita (não a primeira, diga-se) de que os resultados do BBB são manipulados.”

Autor: - Categoria(s): televisão Tags: , , , , , , , ,
25/03/2009 - 11:05

BBB9 – Como no estádio, cada espectador vê um jogo diferente

Compartilhe: Twitter

Dia seguinte de paredão é sempre parecido. Dentro da casa, aquela ressaca. Aqui fora, os torcedores saem da toca para manifestar as suas preferências, comemorar e reclamar. Já estou me acostumando.

Na caixa de e-mails, às quartas-feiras, começam a pipocar mensagens de leitores que acompanham o programa pelo “pay per view”, 24 horas por dia, com “denúncias” variadas sobre o que os personagens fazem dentro da casa, mas a edição do programa não mostra. Também são comuns as mensagens me alertando para o fato de que a direção do programa está “conspirando” a favor deste ou contra aquele candidato. Recebo, ainda, “denúncias” sobre “fatos escandalosos” que os pais, parentes e amigos dos confinados fazem fora da casa para ajudar os “brothers”.

Outro termômetro é a caixa de comentários das críticas que escrevo. Nesta terça-feira, escrevi sobre a piada que o programa fez com Ana, exibindo um monstrinho de desenho animado correndo atrás da loirinha, que se diz “perseguida” pelos outros candidatos. O texto foi publicado por volta da uma da manhã desta quarta. Ao religar o computador, às 9h30, já havia 200 comentários – muitos me agradecendo por ter “desmascarado a farsa” que é Ana, outros felizes por eu ter “denunciado” o que a edição do programa e Bial fizeram com a candidata.

Um pouco como no jornalismo esportivo, acho, não importa o que você escreve quando está mexendo com os sentimentos de torcedores apaixonados. Cada um lê como quer e aproveita a oportunidade para mandar a sua mensagem – ou o seu petardo.

Em tempo: O meu texto, Bial faz piada com a “perseguida” e expõe “Lado Ana” ao ridículo, está publicado, como sempre, no site especial do iG dedicado ao programa.

Autor: - Categoria(s): televisão Tags: , , , , , ,
12/02/2009 - 09:33

BBB9 – A leitora pega o crítico no contrapé e o deixa mudo

Compartilhe: Twitter

A pedido da Alessandra Blanco, uma das minhas editoras no iG, estou vivendo, há um mês, a experiência inédita de assistir cotidianamente o Big Brother Brasil. Minhas críticas são publicadas normalmente aos domingos, depois que o programa define quais candidatos irão para o paredão, e às terças, após a eliminação de um deles.

Confesso que tem sido uma experiência altamente desafiadora, já que a qualidade do programa é inversamente proporcional à audiência. Tenho me esforçado, buscando chamar a atenção para alguns problemas recorrentes, como, por exemplo, a falta de assunto dos candidatos, o baixo nível dos temas tratados e a forma como a Globo conduz o programa.

Nesta última semana, produzi dois textos. No primeiro, “Boninho, faça alguma coisa para animar esse jogo!”, escrevo sobre o tédio em que se encontra o programa, expresso claramente na falta de calor e emoção nos rostos e nos gestos dos quatro casais formados na casa. “Tudo parece tão sério e profissional”, observei, que o programa está dando sono. No segundo, “O vilão Ton, o chuchu Mirla e os heróis de Bial”, falo do meu espanto depois da eliminação de Newton com 21 milhões de votos e dos meros 1,5 milhão recebidos por Mirla, uma candidata que, em um mês, falou pouco mais de cinco frases completas. Ainda neste texto, aponto a dificuldade de ser irônico num ambiente como este, pouco dado a sutilezas.

Estava razoavelmente satisfeito com meu esforço até ler o comentário da leitora que assina Sandra. Escreveu ela: “Suas críticas sempre são motivos de reflexão, mas, falando sério, refletir sobre o BBB não é lá grande coisa!”. Sandra me pegou no contrapé e me deixou mudo. Por alguns momentos, cheguei a achar que ela me deu um xeque-mate e cogitei, até, desistir da empreitada. Pensando desde quarta-feira em dizer algo para a leitora, porém, mudei de idéia e elaborei isso aqui:

Sandra, acho que você tem razão, em parte. Talvez o BBB não mereça o esforço de uma reflexão mais séria – talvez eu esteja, realmente, chovendo no molhado, como se diz. Ao mesmo tempo, me pergunto se não é possível tentar (atenção, estou dizendo “tentar”, o que não quer dizer “conseguir”) produzir algum tipo de reflexão num ambiente em que predominam apenas os elogios e os xingamentos. Além do mais, acho que programas desse tipo nos ensinam a entender melhor a nossa cultura e a indústria do entretenimento.

Será que eu convenci a Sandra?

Autor: - Categoria(s): Blog Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo