Publicidade

Publicidade

08/11/2009 - 19:25

“Ahmadinejad, o Rio te beija”

Compartilhe: Twitter

Rio, 35 graus. Domingo de praia lotada – e policiamento reforçado na orla entre Ipanema e Leblon. A cada 500 metros, na pista interditada para veículos, há um carro do 23º Batalhão, com dois PMs dentro. No posto da PM no Arpoador, seis policiais vestidos com roupa de guerra seguram fuzis e encaram a multidão que se aperta naquele cantinho de areia.

Segundo o comandante do 23º BPM, a tropa na praia é parte de uma operação que vai durar todo o verão. Inclui 10 carros e 60 soldados. Nas duas ruas que ligam Copacabana a Ipanema, policiais fazem blitz, parando carros e ônibus. Uma briga seguida de uma série de furtos no Arpoador causou pânico no sábado. “Foi um princípio de tumulto”, segundo a PM.

Não é a praia que o carioca está acostumado a ver. Também espanta no calçadão a poluição visual provocada por dois acontecimentos que não dizem respeito ao domingo de sol: as eleições para a presidência do Flamengo e para a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Rio. Candidatos espalham outdoors móveis por toda a orla. Um dos candidatos à OAB promove uma caminhada, atrapalhando o exercício de quem corre ou anda. Um dos candidatos ao comando do Flamengo distribui panfletos, ajudando a sujar a calçada.

Mas nem tudo está perdido. De bom humor, vascaínos circulam pela praia exibindo a camisa do time que na véspera assegurou a volta à primeira divisão do Brasileiro. No céu, um daqueles pequenos aviões que carregam faixas com publicidade, intriga os banhistas com a mensagem que exibe: “Ahmadinejad, o Rio te beija”.

A faixa é ilustrada nas duas pontas com as cores do arco-íris, símbolo do movimento gay. Trata-se de um protesto bem-humorado contra a visita do presidente do Irã, que deve chegar a Brasília no próximo dia 23, para um encontro com o presidente Lula. Em 2007, Ahmadinejad declarou não existirem gays no Irã.

Atualizado às 10h10 de 9 de novembro: Segundo “O Globo” desta segunda-feira, não se sabe quem é o autor da faixa vista na orla no domingo. O representante de uma entidade gay afirmou não ter entendido se a faixa é uma provocação ao presidente do Irã ou ao próprio movimento de defesa dos homossexuais. E um representante da comunidade judaica especulou que a faixa pode ter sido encomendada por simpatizantes de Ahmadinejad em resposta às manifestações contra a visita do presidente do Irã ao Brasil. A empresa responsável pela propaganda afirmou não ter autorização para revelar quem é o seu cliente.

Autor: - Categoria(s): Brasil, Crônica Tags: , , , , ,
Voltar ao topo